Roda de Ratos: como fugir dela?

por Tasso Lago, em 12 de abril de 2022

Engenheiro, Pós Graduado em Finanças Corporativas pela COPPEAD/UFRJ e Mestre em Corporate Finance pela Université de Bordeaux. Atuou como Analista Financeiro para o Banco da IBM - USA e para Fundação Getúlio Vargas como Inteligência de Mercado. Professor de Blockchain e Criptomoedas na COPPEAD/UFRJ. Atua como Gestor de Portfólio e Consultor Financeiro, tendo mais de 10 milhões de reais em ativos gerenciados.




Você já ouviu alguém dizer que está preso numa Roda de Ratos? Se você já ouviu e não entendeu muito bem o que isso quer dizer, agora será o momento onde você vai entender o que é isso, como funciona e como fugir ou sair desse problema.

O que é a roda dos ratos?

Roda de ratos é um conceito onde a pessoa está presa em um ciclo, daí a escolha da roda, onde ela trabalha para pagar dívidas, sem ter dinheiro para guardar ou investir.

É uma expressão bastante utilizada no mundo dos investimentos e que, apesar de simples, merece bastante atenção, pois você pode estar numa roda dessas e nem percebeu ainda.

Mas, para exemplificar e fazer você entender melhor esse conceito, imagine que o seu salário é de R$5 mil. Você paga as contas da casa, faz compras e com o que sobra paga as dívidas do cartão de crédito, boletos, entre outras coisas. E no final de tudo te sobra pouco ou nada de dinheiro.

Se você se encontra nessa situação, você está em uma roda de ratos.

o que é a roda dos ratos

Como saber se estou na corrida dos ratos?

Corrida de ratos é o termo que se dá a pessoa que está presa em uma roda, um ciclo. Então a coisa mais importante para saber se você está nessa corrida ou não, é só olhar a forma como você gasta e gerencia o seu dinheiro.

E você deve entender uma coisa. Os imprevistos sempre acontecem. E não é porque suas contas fecharam e praticamente não sobrou dinheiro em um mês que você já está em uma roda e uma corrida de ratos. 

Isso é um ciclo, que deve se repetir por alguns meses para que você realmente esteja em uma roda e corrida de ratos.

O que fazer para sair dessa roda?

Agora que você já entendeu o que é uma roda de ratos, é essencial que você saiba como sair dela também. Como em tudo na vida, é um processo. Quanto mais cedo você começar o processo, mais cedo você consegue sair dela.

Então, vamos falar em poucos passos, como você pode fazer para sair dessa roda.

1 – Ajeite suas finanças.

O primeiro passo já foi dado. Você conseguiu reconhecer que está em uma roda de ratos e isso é ótimo.

Agora é hora de ajustar suas finanças. E isso significa entender todo o seu comportamento financeiro, onde você gasta mais e onde estão os pontos que você pode fazer uma economia.

A palavra de ordem é organização. Nesse momento você precisa organizar todas as suas dívidas, renegociá-las e ordenar os pagamentos de forma que você consiga manter os compromissos sem gastar mais do que você ganha.

Em resumo, é hora de se educar financeiramente. Isso pode ser um pouco difícil, principalmente no início. Você vai precisar abrir mão de algumas coisas em prol de um futuro com as finanças mais estáveis e que te permitam fazer as coisas sem cometer loucuras e endividamentos.

Assim que você terminar esse processo, comece a fazer reservas, tanto para emergências quanto para investimentos.

2 – Fuja das dívidas

Falamos sobre isso superficialmente no tópico anterior, mas ele merece ser explicado um pouco melhor.

São as dívidas que te colocam nessa roda, Elas vão consumindo os seus rendimentos aos poucos. Uma compra parcelada aqui, outra ali e quando você vai somar todas elas, o valor é muito maior do que você imaginou.

Então, existem duas coisas importantes sobre dívidas a se ter em mente. A primeira é que a partir do momento que você resolve sair da roda de ratos, você precisa não contrair mais dívidas.

É essencial que você pare de contrair dívidas para que você consiga liquidar as que já existem. 

A segunda coisa é, a partir do momento que você zerou suas dívidas, evite-as. Prefira compras à vista e deixe as compras a prazo quando não houver outra opção. 

3 – Invista

A partir do momento que você organizou suas finanças e conseguiu separar uma parte para investir, faça isso.

Pesquise quais são as melhores opções de investimento para você. E você vai definir isso depois de definir quais são os seus objetivos a curto, médio e longo prazo. Eles devem ser traçados antes de você decidir quais investimentos você deve fazer.

Além disso, pesquise sobre o mercado financeiro, entenda dele. Veja como cada investimento funciona e onde eles podem ou não se encaixar nos seus planos. A partir daí, comece a investir.

E por que você deve investir?

Simples. Investir é a melhor forma de fazer seu dinheiro trabalhar no seu lugar. Trocando em miúdos, você faz seu dinheiro render e gerar lucro sem que você precise trabalhar 8 horas por dia, 5 dias por semana.

Isso também gera uma outra situação. Com as contas em dia e com o dinheiro rendendo, você terá um lastro para evitar dívidas. Mas, se um acontecimento fora do previsto exigir que você gaste mais e se endivide, você conseguirá quitar essa dívida muito mais rápido, já que terá investimentos rendendo dinheiro para você. E, em último caso, você pode resgatar os investimentos para zerar a dívida e reiniciar o processo.

a corrida dos ratos

Quais os comportamentos da roda dos ratos

Quem entra na roda de ratos tem comportamentos bem parecidos e que se caracterizam por fazer você se endividar. Entender quais são eles vai te ajudar a sair dessa roda o mais rápido possível.

Então, vamos falar um pouco sobre eles agora.

Gastar o tempo todo

Um dos comportamentos mais destrutivos para as suas finanças e que faz você entrar de cabeça na roda de ratos. 

Sempre que você gasta sem propósito e sem pensar e planejar a compra, você gasta mais do que deve e se endivida.

Então, antes de sair gastando seu dinheiro sem qualquer propósito, pense se você realmente precisa daquela compra. Se você realmente precisa daquele item, aí sim você compra.

Caso contrário, você está comprando por comprar, o que não é um bom hábito. O consumismo pode te levar a dívidas bastante altas e isso não é nada bom.

Deixar de investir

Um dos conceitos mais simples do investimento é que você faz o seu dinheiro render sem precisar trabalhar. Quando você não investe, você perde dinheiro. E mesmo que você não ganhe uma tonelada de dinheiro com investimentos, a longo prazo o ganho mensal de um ativo vai ser bastante relevante. 

Então, uma das regras básicas para não entrar na roda dos ratos é exatamente essa: INVISTA. 

Faça o seu dinheiro trabalhar por você. Faça com que ele te gere lucros e, a longo prazo, você tenha uma situação financeira confortável para cometer um ou outro excesso sem precisar se preocupar com isso.

Mas claro, você deve investir com inteligência. É preciso pesquisar, entender o funcionamento do mercado financeiro, entender como os investimentos funcionam e escolher aquele que melhor se encaixa nos seus objetivos.

Qual livro fala sobre a corrida dos ratos?

Diversos livros abordam o conceito da corrida dos ratos, alguns de forma mais direta, outros deixam esse conceito subentendido ao longo de sua narrativa.

O ‘Pai Rico, Pai Pobre’, de Robert Kiyosaki, é um dos livros mais conhecidos no Brasil quando se fala de finanças. O autor do livro, inclusive, é considerado o criador do termo roda de ratos/corrida de ratos. 

O livro fala do aprendizado do próprio autor a respeito das finanças ao longo de sua vida. Na publicação, o ‘Pai Rico’ é, na verdade, o pai de um amigo seu de escola. Ele tem empresas e ensina o autor a como cuidar do seu dinheiro e como fazer ele render mais. Ou seja, ensina a economizar e investir.

Já o ‘Pai Pobre’, é o pai biológico do autor, que serve como ponto de comparação para os ensinamentos do outro personagem principal da narrativa.

Tabela de Conteúdos