Onde investir 10 mil reais: 10 Formas para aumentar seu capital

por Tasso Lago, em 20 de dezembro de 2021

Engenheiro, Pós Graduado em Finanças Corporativas pela COPPEAD/UFRJ e Mestre em Corporate Finance pela Université de Bordeaux. Atuou como Analista Financeiro para o Banco da IBM - USA e para Fundação Getúlio Vargas como Inteligência de Mercado. Professor de Blockchain e Criptomoedas na COPPEAD/UFRJ. Atua como Gestor de Portfólio e Consultor Financeiro, tendo mais de 10 milhões de reais em ativos gerenciados.




Você trabalhou duro, economizou o quanto podia e agora tem 10 mil reais para começar a investir e fazer o seu dinheiro render. Mas agora vem a dúvida: Onde investir? Qual é o investimento mais seguro? E qual é o mais rentável?

Para te ajudar a começar a investir, fizemos um pequeno manual sobre investimentos com 10 formas de investir para te ajudar a decidir. 

1 – Bitcoins

O mercado de bitcoins (e criptomoedas, de maneira geral) tem crescido a cada ano. Só para citar um exemplo, no começo de 2021, um bitcoin chegou a ser cotado em 64 mil dólares. Convertendo em reais na cotação atual, seria algo em torno de R$357 mil. Sim, um bitcoin teve esse valor.

O X da questão quando se fala de criptomoedas é que o seu valor varia de acordo com a oferta e procura no mercado. Então quanto maior a procura por bitcoins, maior o valor e se a oferta é muito grande, o valor tende a diminuir. Funciona mais ou menos como é no mercado de ações convencionais.

Isso pode influenciar diretamente no rendimento da moeda em longos períodos. Da mesma forma que no começo de 2021 o bitcoin teve uma valorização muito alta, pouco tempo depois o seu valor diminui. Então entender essa movimentação do mercado e saber a hora de vender e comprar a moeda é essencial para se obter lucro.

O investimento inicial pode ser considerado alto, dependendo do mercado, mas a sua rentabilidade certamente vale a pena e é uma opção que sempre deve estar na mesa. Além disso, você pode obter bitcoins (e outras criptomoedas) de diversas formas, como mineração e recompensas por tarefas executadas, por exemplo. Falamos sobre como obter bitcoins com mais detalhes neste post (linkar com o post sobre bitcoins).

2 – Poupança

Sem sombra de dúvidas é o investimento mais popular do país e por muito tempo o mais utilizado. Isso não quer dizer que seja o mais rentável. Por ser um investimento rápido e simples, muitos brasileiros optam pela caderneta de poupança. 

Porém, apesar da popularidade, a poupança não é o melhor lugar se você está buscando rentabilidade. O rendimento dela depende da taxa básica de juros do país, a Selic. Quando ela está abaixo de 8,5% ao ano, cenário mais comum nos últimos anos, a poupança rende apenas 70% dessa taxa. Assumindo que a Selic seja de 3,5% ao ano, a caderneta rende 2,4% ao ano.

Exemplificando em números, para ficar mais claro: 10 mil reais a essa taxa na poupança, ao longo de um ano, o seu rendimento seria de R$245,00, totalizando R$10.245,00. Um rendimento considerado baixo se o seu propósito é obter renda para reinvestir.

3 – Tesouro Direto

É um programa de investimentos criado pelo Tesouro Nacional que visa facilitar a captação de recursos e o acesso pelas Pessoas Físicas aos títulos públicos. Os títulos públicos são considerados o investimento mais seguro do Brasil.

Por meio do Tesouro Direto, podemos investir em títulos ligados à inflação, taxa de juros ou então que rendem uma taxa fixa. É considerado um dos investimentos mais seguros disponíveis no mercado, por ser feito em títulos públicos.

Essa segurança vem do fato de que dificilmente os órgãos estatais vão falir, principalmente as entidades governamentais, o que dá segurança para que o seu retorno esteja garantido.

4 – CDB

A sigla significa Certificado de Depósito Bancário e é um empréstimo que o investidor faz a uma instituição financeira, que por sua vez, promete devolver o valor com acréscimo de juros no vencimento.

Também é um tipo de investimento bastante conhecido, já que existem CDB’s com baixo risco e boa rentabilidade.

5 – Debêntures

As debêntures são uma ótima forma de captação de recursos pelas empresas não financeiras. Da mesma forma que os CDBs e os títulos públicos, uma debênture consiste em uma operação de empréstimo em que uma empresa que não faz parte do setor financeiro é a emissora.

Normalmente, as empresas emitem debêntures com o objetivo de conseguir dinheiro que pode ser usado para construir uma nova fábrica, expandir suas operações no exterior, adquirir uma concorrente ou fazer qualquer outro grande investimento.

6 – Fundos de Investimento

São uma espécie de “condomínio” de investidores que reúnem seus recursos para que sejam aplicados em conjunto no mercado financeiro.

A principal vantagem desse tipo de aplicação é a gestão profissional, pois existe um gestor capacitado que faz o gerenciamento dos ativos do fundo, e a diversificação, pois existem vários ativos diferentes dentro de um mesmo fundo.

Podem ser de renda fixa, quando se investe a maior parte do seu patrimônio líquido em ativos relacionados à variação da taxa de juros e/ou ao índice de preços. Esse tipo de investimento tem risco menor.

Também pode ser um fundo de investimento em ações, onde se aplica a maior parte dos recursos do fundo em ações. Além disso, existem fundos com as mais diferentes estratégias e que adotam as mais diversas políticas de investimento. Dessa forma, o investidor tem muitas opções para escolher o fundo mais adequado.

como investir R$10.000,00 e ter retorno rápido

7 – Fundos Imobiliários (FIIs)

É um tipo de fundo de investimento onde os investidores aplicam recursos em conjunto no mercado imobiliário, Geralmente, o dinheiro é usado na construção ou na aquisição de imóveis que depois serão locados. Os rendimentos obtidos nesse tipo de investimento são distribuídos aos cotistas proporcionalmente ao valor investido por cada um.

O mais interessante é que os fundos imobiliários são uma ótima forma de construir renda passiva, pois os rendimentos são distribuídos mensalmente.

8 – Fundos de Índice (ETFs)

São fundos de investimento que buscam, essencialmente, acompanhar um índice de referência, ao invés de superá-lo.

Por exemplo, o XFIX11 é um ETF que replica o desempenho do IFIX, que é um índice que reflete o retorno dos principais FIIs negociados na B3. A maior vantagem desse tipo de ativo são os baixos custos e a garantia de que o investidor não terá um retorno abaixo do mercado.

9 – Fundos Multimercado

Os fundos multimercado são aqueles em que não há limite mínimo ou máximo que o gestor deve aplicar em determinada classe de ativos. Nesse sentido, essa categoria de fundo se tornou bastante popular por causa da grande variedade de estratégias que o gestor pode adotar.

Desse modo, você pode se expor às oscilações da economia ou a uma alocação mais estratégica, por exemplo.

10 – Ações

Uma ação é a menor parte do patrimônio de uma empresa. Portanto, ao adquirir uma, você passa a ser sócio da companhia. O maior atrativo desse ativo é a expectativa de valorização do preço da ação e o recebimento de dividendos, que é a parte do lucro que a empresa distribui aos acionistas.

Além dos dividendos, há também a possibilidade de se comprar e vender ações visando lucro. Alguns investidores costumam comprar ações de empresas que estão em baixa, para vendê-las posteriormente, quando elas sobem de valor por conta de uma valorização.

Onde investir 10 mil reais

Seja qual for o modo que você venha a escolher para investir e o seu perfil, é sempre importante consultar um especialista para te orientar sobre os investimentos.

Outra dica simples, mas importante, é começar devagar. Além de diminuir o risco de se perder dinheiro, vai te dar tempo para entender como funciona o mercado de investimentos e traçar uma estratégia de acordo com os seus objetivos de vida para aquele investimento.

Tabela de Conteúdos