Criptomoedas são o futuro? Aprenda a investir e lucrar com as moedas digitais

por Tasso Lago, em 7 de julho de 2021

Engenheiro, Pós Graduado em Finanças Corporativas pela COPPEAD/UFRJ e Mestre em Corporate Finance pela Université de Bordeaux. Atuou como Analista Financeiro para o Banco da IBM - USA e para Fundação Getúlio Vargas como Inteligência de Mercado. Professor de Blockchain e Criptomoedas na COPPEAD/UFRJ. Atua como Gestor de Portfólio e Consultor Financeiro, tendo mais de 10 milhões de reais em ativos gerenciados.




Na atualidade, dificilmente você verá alguém com moedas no bolso, isso porque o dinheiro em espécie está, aos poucos, saindo de circulação.

Além dos cartões de crédito e débito e dos smartphones, as transações financeiras do século XXI ganharam mais um meio rápido e fácil de serem realizadas: moedas digitais, chamadas de criptomoedas.

Nesse conteúdo, você terá acesso a mais informações sobre o que são moedas digitais, quais moedas digitais vão valorizar, quais são as criptomoedas mais promissoras, em quais moedas investir, como comprar, como guardar, dicas de segurança na hora de escolher suas moedas digitais, e ainda poderá conferir a lista com as 10 criptos mais confiáveis e das 10 que você deve evitar.

Acompanhe!

O que é Criptomoeda?

A criptomoeda nada mais é que uma moeda virtual, criada para simular o dinheiro em espécie. Conhecida como “dinheiro mágico da internet”, a criptomoeda auxilia na compra e venda de bens por meio de transações virtuais, além de ser utilizada para pagamentos sem ser emitida por um banco central.

Na verdade, o criptograma (lógica pré determinada para decifrar mensagem) é gerado através de um software que codifica os dados de transação, controlados e armazenados pelo seu proprietário.

A criptomoeda tem como objetivo construir um sistema financeiro independente, como uma forma de impedir que o dinheiro seja tomado sem permissão de seu dono, não podendo ser facilmente congelado, apreendido ou inflado.

A moeda digital foi criada inicialmente em 2008, contudo, a ideia só criou vida a partir de 2009, quando Satoshi Nakamoto lançou para o público a Bitcoin.

Como usar criptomoedas?

A criptomoeda pode ser usada com as mesmas finalidades do dinheiro físico, ademais como poupança para colocar ativos fora do alcance de terceiros e efetivar remessas, meio de troca e pagamento de bens e serviços online.

As transações podem ser feitas para qualquer pessoa em qualquer lugar do mundo, sem um limite mínimo e máximo de valor.

Mineração de moedas

A mineração é a tarefa de encontrar a chave que criptografa os blocos que atuam como livros de registros.

Toda vez que um bloco, ou popularmente chamado de “hash“, é encontrado, o minerador recebe Bitcoins como recompensa.

O seu computador fará todo o trabalho de cálculos matemáticos complexos e criptografados.

Essa técnica dispõe de uma rede chamada Pool, onde várias pessoas garantem o funcionamento de mineração de criptomoedas.

Existem três formas de minerar, sendo elas:

Mineração em nuvem

Esse método de mineração permite que as pessoas ganhem moedas sem hardware próprio para minerar, poupando-os de gastos com eletricidade.

Mineração profissional

É realizada por datas centers, precisa ser instalada em um centro de mineração que conte com o clima frio para garantir o resfriamento do equipamento de forma que diminua os custos de refrigeração. É mais comum em países como Georgia, Islândia e Estados Unidos.

Mineração com Unidades de Processamento Gráfico (GPU)

Conhecida por ser a mais rápida e eficiente que a mineração com CPU, a GPU conta com placas gráficas de alto desempenho que calculam aproximadamente 200 milhões de hashes por segundo.

As versões iniciais de Bitcoin eram mineradas em CPU, e atualmente esse método é inviável.

Um computador atual pode processar apenas 20 milhões de hashes por segundo, uma velocidade consideravelmente lenta e levaria em torno de centenas de milhares de anos para encontrar um bloco.

Podemos citar a Bitcoin, Ethereum, Bitcoin Cash, Bitcoin SV e Litecoin como as melhores criptomoedas para serem mineradas, mas tal tarefa exige grande investimento, principalmente em setup e placas de vídeo potentes.

Onde guardar as criptomoedas?

Você pode armazená-las em uma carteira virtual que as protegem com criptografia

As carteiras, chamadas de wallets, são um tipo de software e hardware desenvolvido especialmente para conservar, enviar e receber as moedas digitais. 

Como as moedas não são físicas, o armazenamento é apenas um registro de transações realizadas, inclusive os usuários utilizam códigos com números e letras para realizar essas transações, e quando é feita a transferência, o negócio não pode ser desfeito.

A carteira software mais popular e usada é a Coinpayments, é online e multimoedas, suporta mais de 100 criptomoedas, permite a conversão de Bitcoin para Litecoin e costuma ser prática e rápida.

Outras carteiras softwares confiáveis são a Wirex, online e gratuita, e a Coinbase, disponível para diversos países e considerada uma das melhores carteiras de Bitcoin do mundo.

Já a mais recomendada em hardware é a Ledger NanoS, isso porque suporta uma variedade de moedas e pode ser usada offline.

As carteiras hardware são conhecidas como frias, específicas para quem deseja maior segurança e um maior armazenamento.

Existem outras opções de carteira, como as móveis e desktop, ambas muito similares e podem ser utilizadas de forma quente ou fria (online ou offline).

Como comprar criptomoedas?

Agora que você conhece as carteiras, está na hora de saber como adquirir algumas moedas virtuais. 

Com sua expansão em 2017, comprar criptomoedas se tornou fácil e rápido, para isso basta encontrar uma corretora (plataforma específica para comprar criptomoedas) de sua confiança, como a Binance e outras.

Criada em 2017, a Binance já se estabeleceu no mercado como uma das melhores exchanges para comprar criptomoedas. 

O processo é bem simples, basta acessar a plataforma e clicar na opção “Trocar” e em seguida em “Basic”, a partir desse ponto você será capaz de negociar com mais de 100 alternativas de moeda digital.

Além disso, a carteira não possui limite de depósito, as comissões são baixas e a segurança da plataforma funciona com protocolos avançados.

Outro exemplo que podemos citar é a Avatrade, presente no mercado desde 2006 e que hoje abrange todo o mundo, com escritórios no Japão, Austrália, Irlanda e Ilhas Virgens Britânicas. Uma das maiores e mais respeitadas corretoras que existe.

Plataformas de Criptomoedas mais seguras e conhecidas no Brasil

  • Binance
  • NovaDAX
  • Foxbit
  • Mercado Bitcoin
  • Coinext
  • BitcoinToYou
  • Braziliex
  • Brasil Bitcoin

Quanto custa Operar Bitcoin?

Existem algumas taxas envolvidas na compra de criptomoeda, e algumas delas são as taxas de depósito, retirada e transação.

Isso significa que algumas plataformas irão te cobrar pelo depósito em dinheiro, outras para que você retire o seu dinheiro e em certos casos, existem as taxas de transação, normalmente muito pequenas, embora o valor possa subir durante um período de muita movimentação.

Cuidado com Plataformas Irregulares de Bitcoin

Fique de olho em sites falsos que tentam atrair suas vítimas através de ofertas boas demais para ser verdade.

Há golpes famosos nas redes sociais, e outros que são feitos por e-mail, os famosos golpes de phishing (normalmente começam por e-mail e tentam obter dados pessoais), então verifique se a empresa é regulamentada e se possui capacidade legal para ofertar.

Tendo isso em mente, o próximo passo é aprender a investir na moeda.

Diferentemente da moeda nacional, em que o Governo manipula seu valor, o preço da criptomoeda envolve, principalmente, a lei de oferta e procura, fortemente impactado pela especulação, o que gera risco de volatilidade e também mais cifras.

Com paciência, investir nas criptomoedas pode dar um retorno rápido e seguro, para isso acontecer, no entanto, são necessárias muita cautela e pesquisa.

Crie um plano de investimento e estude o assunto, esteja de olho nas tendências da moeda e suas oscilações. 

Comece a Investir em Moedas Digitais

Após escolher uma empresa de sua confiança, aguarde o momento adequado para realizar a compra de criptoativos (geralmente comprados em baixa e vendidos em alta) e lembre-se de decidir que tipo de investimento fará em criptomoedas.

Investir em Criptomoedas a curto ou longo prazo?

Os investimentos a curto prazo exigem compras e vendas regulares, e são opção mais trabalhosa.

Quem quer trabalhar dessa forma, precisa entender que será fundamental dedicar tempo e atenção para acompanhar o mercado e os movimentos de preço, para obter lucro ao longo do tempo.

Os investimentos a longo prazo, por outro lado, precisam ser “esquecidos”.

Você compra e tranca as moedas em sua carteira, e com um pouco de sorte, dentro de alguns anos o preço da moeda poderá aumentar e quando você as vender, terá um bom lucro.

moeda bitcoin

Quantas criptomoedas existem?

Há mais de 4 mil moedas digitais no mercado e existe uma legislação diferente para seu uso de acordo com o país, conheça algumas das mais valorizadas no mercado atual.

Bitcoin (BTC)

A Bitcoin é mais conhecida, e não por menos, foi a primeira criptomoeda criada e o interessante é que não se sabe quem a inventou, apenas que ele/ela usa Satoshi Nakamoto como pseudônimo. 

A Bitcoin é baseada na Blockchain (uma forma de validar uma transação ou registro), uma tecnologia de contabilidade distribuída.

Até 2010, você podia comprar um Bitcoin por um dólar, atualmente o preço varia entre US$3 e US$17 mil. O BTC continua crescendo, tendo uma participação de 36% no mercado de criptoativos.

Por ser justamente a primária, a Bitcoin conta com desenvolvedores e investidores que a apoiam e consequentemente contribuem para o crescimento da moeda a cada ano, também está sendo adotada como método de pagamento na economia Microsoft, pela Bloomberg e outras grandes companhias.

Apesar das vantagens, as taxas de transação para o envio de Bitcoins são consideravelmente altas e sua velocidade lenta, sofrendo enormes problemas de expansão.

Ethereum (Ether)

Criada em 2015 por Vitailk Buterin, a Ethereum é mais que uma moeda digital, é uma plataforma baseada em Blockchain para desenvolvimento de aplicativos descentralizados.

A Ethereum é a plataforma mais popular para a construção de contratos inteligentes (acordos codificados na blockchain) e oferece uma velocidade de transação de alguns segundos, entretanto, vem enfrentando uma forte concorrência das moedas digitais da NEO e Cardano.

Litecoin (LTC)

Charlie Lee, um ex-funcionário da Google, criou a Litecoin em 2011 tendo base no blockchain do Bitcoin, e o intuito de melhorá-la. O resultado da sua tentativa teve prós e contras.

A velocidade das transações de Litecoin é superior a Bitcoin, exceto por isso, nada a destaca significativamente das demais moedas.

NEO

NEO é uma criptomoeda chinesa, criada em 2014 por Da Hongfei, apelidada de “Ethereum chinesa” por causa das muitas semelhanças com a Ether, também oferece plataforma baseada em blockchain para o desenvolvimento de contratos inteligentes.

A NEO pode completar até 10.000 transações por segundo, mas é dependente do apoio do Governo e por isso, será facilmente atingida se o governo chinês apresentar políticas desfavoráveis.

Cardano (ADA)

Co-Fundador da Ethereum, Charles Hoskinson desenvolveu a Cardano como uma plataforma de aplicativos descentralizados e contratos inteligentes.

Atualmente, a Cardano é considerada a terceira tecnologia blockchain mais avançada, o que a torna uma das 10 principais criptomoedas do mercado em 2021.

A Cardano é apoiada por uma comunidade de pesquisadores, é mais escalável que a Ethereum e futuramente pretende implantar a Interoperabilidade, ou seja, ela poderá interagir com diversas criptomoedas e suas infraestruturas.

Dogecoin (DOGE)

Baseada em um meme popular, a moeda DOGE foi criada por Billy Markus e Jackson Palmer e chegou ao mercado como uma forte concorrente do Litecoin em 2013.

Elon Musk, empreendedor e executivo global, é um dos embaixadores dessa moeda, considerado uns dos grandes admiradores da DOGE e sua atividade frequente nas redes sociais torna a cotação da criptomoeda sempre elevada. Basta um tweet e a moeda chega a ser valorizada em 200%.

Stellar (XLM) e Ripple (XRP)

Stellar é uma bifurcação da Ripple (ambas fundadas por Jeb McCaleb), que se destaca por sua organização sem fins lucrativos: Stellar Development Foundation.

A moeda conta com alguns prós, como ser mais descentralizada que a Ripple e seu plano de inclusão tem funcionado, mas o número de moedas que estão focadas em resolver os problemas de pagamento internacional vem crescendo a cada dia.

IOTA

A única entre as 10 citadas acima que usa “tangle” como protocolo, ao invés de blockchain, é muito conhecida por causa da “Internet das Coisas” (IoT), uma tecnologia que permite a comunicação entre vários objetos com sensores. A IOTA quer tornar essa tecnologia mais transparente e segura.

A IOTA tem como grande vantagem sobre as demais moedas o fato de não cobrar taxas de transação e enquanto outras lutam na escalabilidade, a tecnologia IOTA permite escalabilidade infinita.

As 10 Criptomoedas mais confiáveis

  • Bitcoin (BTC)
  • Ethereum (ETH)
  • Binance Coin (BNB)
  • Ripple (XRP)
  • Dogecoin (DOGE)
  • Tether (USDT)
  • Cardano (ADA)
  • Polkadot (DOT)
  • Litecoin (LTC)
  • Bitcoin Cash (BCH)

10 Criptomoedas que você deve evitar

  • Bitcoin SV (BSV)
  • Monero (XMR)
  • Bitcoin Cash (BCH)
  • NEM (XEM)
  • Dai (DAI)
  • SushuSwap (SUSHI)
  • Synthetix (SNX)
  • Kasuma (KSM)
  • Alpha Filance Lab (ALPHA)
  • Rune (XRUNE)

As criptomoedas se tornaram importantes para a economia e estão se fortalecendo cada dia mais.

Alguns especialistas acreditam que dentro de 10 anos, a maioria das transações serão feitas unicamente por moeda digital.

Não espere mais para investir e lucrar com as criptomoedas. 

O que você pensa a respeito de tudo isso?

Tabela de Conteúdos