Como Investir em Bitcoin (Guia para Iniciantes)

por Tasso Lago, em 7 de julho de 2021

Engenheiro, Pós Graduado em Finanças Corporativas pela COPPEAD/UFRJ e Mestre em Corporate Finance pela Université de Bordeaux. Atuou como Analista Financeiro para o Banco da IBM - USA e para Fundação Getúlio Vargas como Inteligência de Mercado. Professor de Blockchain e Criptomoedas na COPPEAD/UFRJ. Atua como Gestor de Portfólio e Consultor Financeiro, tendo mais de 10 milhões de reais em ativos gerenciados.




O investimento em criptomoedas tem ganhado cada vez mais atenção de pessoas que já operavam na Bolsa de Valores e de outro público, que nunca realizou investimentos mas também tem interesse em ganhar dinheiro através de operações financeiras.

Para ambos os públicos, no entanto, os investimentos em Bitcoin e outros criptoativos podem parecer um pouco complexos e é justamente para esclarecer dúvidas sobre esse tema que criamos esse conteúdo, com as principais informações para que você saiba como investir em Bitcoins e outras criptomoedas.

Acompanhe!

Bitcoin é uma criptomoeda. Mas, o que são criptomoedas?

Criptomoedas são moedas digitais, ou seja, dinheiro digital, ou como são oficialmente chamadas, ativos.

O Bitcoin e todas as outras criptomoedas são negociados apenas digitalmente, ou seja, não é possível “pegá-los” na mão.

Atualmente, o conceito já é bem simples de entender, visto que muitas pessoas utilizam o dinheiro através de contas digitais e cartão de crédito e quase nunca pegam em cédulas ou moedas.

Há quem diga que criptoativos são o dinheiro do futuro e talvez essa crença seja um dos motivos das criptomoedas continuarem tendo seu valor mantido em índices bem interessantes, mesmo com as oscilações do mercado.

Entre todas as criptomoedas já criadas e divulgadas, a mais famosa e mais valorizada de todas é o Bitcoin, uma das poucas moedas que possui valor mais alto do que o Dólar e por isso, é nela que vamos concentrar esse conteúdo.

O que é Bitcoin?

Como dito acima, o Bitcoin é uma moeda digital, desenvolvida entre 2008 e 2009, por Satoshi Nakamoto (pseudônimo de uma pessoa desconhecida) através de um código, responsável pela criação do ambiente dos criptoativos.

O lançamento foi feito através de um manifesto online, que explicava como o criptoativo funcionaria e porque havia sido criado (uma forma de resistência aos bancos tradicionais após a grande crise global de 2008).

Foi em 2009 que ocorreu a primeira transação com esse código, o que deu origem ao Blockchain e logo que essa operação foi divulgada, o Bitcoin passou a ganhar popularidade e fazer parte de especulações que faziam com que sua cotação/valorização mudasse a cada segundo.

Valorização do Bitcoin

Em meados de 2009, 1 Bitcoin valia 1 centavo de dólar e, antes mesmo do ano terminar, já valia um dólar.

A valorização muito acima da média fez com que leigos e especialistas em ativos resolvessem investir na criptomoeda e conforme ela ficava mais famosa, passava a ser ainda mais valorizada.

Em 2012, um bitcoin já estava valendo 100 dólares, o que fez dele, a moeda mais valiosa do mundo.

Em 2013, a criptomoeda já valia mais do que 1000 dólares.

Quanto mais pessoas se interessavam pela cripto, mais aumentava o seu valor, até que, em 2021, o Bitcoin atingiu seu maior preço desde o lançamento e a moeda digital chegou a ser negociada por mais de 60 mil dólares.

Riscos de Investir em Bitcoin

Como tudo que envolve o mercado financeiro, o Bitcoin também sofre instabilidades e já sofreu quedas que fizeram com que muitos investidores ficassem extremamente assustados e arrependidos (ainda que momentaneamente) de investir na criptomoeda.

Os motivos que fazem com que o Bitcoin perca valor são diversos e um deles é relacionado à legislação de alguns países.

O México, por exemplo, proibiu a negociação de Bitcoin no país, e quando coisas como essa acontecem aumenta a incerteza sobre a moeda, o que pode causar desvalorizações.

Após atingir seu valor máximo em 2021, o Bitcoin sofreu a sua maior queda diária, perdendo 10 mil dólares do seu valor individual e uma queda de 100 bilhões de dólares em valor de mercado.

Em todo caso, isso não significa que todo mundo que tem Bitcoin perde dinheiro quando há uma desvalorização.

A perda só se concretiza se o dono do Bitcoin quiser vende-lo em um momento em que ele esteja valendo menos do que foi pago no momento da compra da criptomoeda.

Por que investir em Bitcoins?

Agora que você já conhece a história e o funcionamento do Bitcoin, só falta esclarecer porque o Bitcoin é tão atraente como investimento, mesmo sendo tão volátil e não sendo regulamentado por nenhum Banco Central.

Um dos principais motivos é o seu movimento ascendente em relação ao preço de negociação.

Como o Bitcoin foi o pioneiro entre as criptomoedas, acumulou uma grande valorização e uma intensa capitalização de mercado.

Outro ponto importante é que o Bitcoin é finito, ou seja, a cada dia que passa ele se torna um ativo mais raro, o que faz com que mais pessoas queiram aproveitar essa possibilidade enquanto ela existe.

Além desses fatores, ainda há uma parcela dos investidores que acreditam que o Bitcoin pode ser o futuro do dinheiro do mundo e conforme países como El Salvador começam a aceita-la como moeda oficial, esse pensamento se consolida ainda mais.

Outro ponto é que, conforme os anos foram passando, empresas e bancos tradicionais passaram a investir em criptomoedas, utilizá-las como recompensa em programa de pontos, apoiar iniciativas envolvendo o uso de criptoativos e a aceitar Bitcoins como pagamento.

Por último, mas não menos importante, o Bitcoin não acompanha o mercado no que diz respeito a outros investimentos.

Quando ocorrem crises que afetam diversas moedas e ativos, o Bitcoin tende a manter seu valor, pois não acompanha as alternativas tradicionais da renda fixa ou variável e foi justamente para isso que ele foi criado: para resistir a crises!

Como investir em Bitcoin?

Existem duas formas principais para começar a investir em Bitcoins:

Compra direta de criptoativos em exchanges ou através de fundos de investimentos que aloquem recursos em criptomoedas.

Abaixo, falaremos sobre como funciona cada uma dessas possibilidades:

Comprar Bitcoin em Exchange

A compra de Bitcoin em uma Exchange é a forma mais direta de realizar operações com criptomoedas, porém, pode ser considerada a mais arriscada para investidores inexperientes.

Você precisará armazenar seus bitcoins em algum lugar, chamado carteira ou cryptowallet.

Também é possível armazenar seus bitcoins em uma carteira de papel (anotação, por exemplo), mas é importante ter em mente que se você perder essas informações e não conseguir acessá-las por algum motivo, podem não haver forma de recuperá-las.

Se as informações da sua carteira forem utilizadas por pessoas não autorizadas, também é possível que você perca o seu investimento, então, no caso de realizar a compra diretamente com uma Exchange, tenha em mente que você precisa se certificar de ter as informações muito protegidas pois não há uma forma legal de recuperar seus Bitcoins caso alguém os roube ou você perca as informações que dão acesso a eles.

Como investir em fundos ligados ao Bitcoin?

Além da compra direta em Exchanges, também é possível investir em fundos ligados ao Bitcoin, que são uma alternativa bastante interessante para quem está começando a compreender o funcionamento do mercado de criptomoedas.

Há fundos de Bitcoin e criptoativos com diferentes tipos de estratégias e níveis de risco variados e é possível escolher o quanto você quer que o fundo esteja exposto ao Bitcoin, fazendo o investimento de uma forma mais ousada ou mais conservadora.

Outra opção, ainda relacionada aos fundos, é buscar aprender sobre os ETFs de criptomoedas.

ETF significa Exchange Traded Fund, ou Fundo de Índice, e sua estratégia se baseia em um indicador de mercado que replica a carteira teórica do índice escolhido, com o objetivo de acompanhar seu desempenho.

Quando se trata de criptomoedas, os Fundos de Índice replicam índices vinculados aos criptoativos.

No Brasil, as duas principais alternativas para quem quer começar a investir em Bitcoin são o HASH11 e o QBTC11.

Abaixo, você poderá entender melhor como funcionam:

como investir em bitcoin 2

O que é HASH11?

O HASH11 é um fundo que não envolve apenas o Bitcoin e acompanha o Nasdaq Crypto Index (NCI), um índice criado pela bolsa americana Nasdaq e pela Hashdex, que é a gestora desse ETF.

O indicador é composto pelas principais criptomoedas do mercado, como:

·         Bitcoin;

·         Ethereum;

·         Litecoin;

·         Chainlink;

·         Bitcoin Cash;

·         Stellar.

O Bitcoin é a cripto de maior peso, visto que tem o maior valor de capitalização e preço de negociação no mercado, mas não é o único responsável pelo resultado do fundo.

Quem investe no Hash11, consegue ter rendimentos atrelados ao Bitcoin, mas não fica 100% dependente dele.

O que é QBTC11?

Para quem não vê sentido em se envolver com diversas criptomoedas e entende que apenas o Bitcoin vale à pena como investimento, o melhor tipo de aplicação pode ser o QBTC11, da QR Asset Management que acompanha o indicador Chicago Mercantile Exchange (CME), da bolsa de Chicago, nos Estados Unidos.

O funcionamento do QBTC11 é o mesmo do HASH11 e a diferença entre eles é que um se expõe apenas ao Bitcoin enquanto o outro se expõe às principais criptomoedas.

Em ambos, há cobrança de uma taxa de administração, que serve para remunerar o gestor profissional.

Como são ETFs, que contam com estratégias baseadas em carteiras teóricas pré-existentes — com gestão passiva, o custo dessa taxa tende a ser menor do que em outros tipos de fundos, como os de criptomoedas, que podem cobrar taxa de administração e taxa de performance, se o desempenho for melhor do que o esperado.

Vale a pena investir em Bitcoins através de fundos?

Investir em Bitcoin através de ETFs e fundos de investimento pode ser mais seguro do que investir por conta própria através das exchanges, mas isso não significa que o investimento direto não possa ser realizado.

O importante aqui é esclarecer o assunto, de forma que quem quer começar a investir em Bitcoin conheça as principais formas de fazer isso e saiba quais são os riscos e benefícios de cada modalidade de investimento.

O primeiro ponto que deve estar sempre claro é que o investimento direto em criptomoedas não é regulamentado pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Por outro lado, os fundos são autorizados e seguem as normas da CVM, o que significa que são legais, apesar do Bitcoin não ser reconhecido como moeda legal no Brasil.

Outro ponto que deve ser analisado na hora de tomar uma decisão é a respeito da capacidade de gerenciar os investimentos em Bitcoins.

Para quem não tem nenhum conhecimento em gerenciamento de ativos, os fundos podem ser uma boa solução, pois são gerenciados por um profissional, responsável por acompanhar as mudanças de índices e tomar as decisões a respeito do que fazer com os criptoativos.

O procedimento para realizar esse tipo de investimento é bem simples.

No caso dos ETFs, as cotas são negociadas na bolsa de valores, e os fundos de criptomoedas podem ser acessados pela plataforma de corretoras de investimentos.

vale a pena inestir em bitcoin 1

Vale a pena investir em Bitcoin?

A primeira coisa que deve ser levada em conta para saber se vale à pena para você investir em Bitcoin é o seu perfil de investidor.

O risco de investimentos em Bitcoin é maior do que os investimentos em ativos tradicionais, por isso, o perfil ideal de investidor em criptomoedas é o de pessoas que tem tolerância moderada ou elevada ao risco.

Se você for uma pessoa muito conservadora ou se está pensando em investir seus únicos recursos em Bitcoin, é melhor analisar mais profundamente o assunto antes de partir para a ação.

A melhor forma de investir em Bitcoin é trabalhando com uma carteira de investimentos diversificada, com uma pequena parte do patrimônio aplicada em criptoativos.

Passo a Passo para investir em Bitcoin

Se, após entender todos os riscos, você decidir realizar seu primeiro investimento em Bitcoin, é o momento de aprender como investir. Veja no passo a passo abaixo!

Abra uma conta em uma corretora de valores

O primeiro passo é escolher uma corretora de valores e para realizar a tomada de decisão é importante levar em conta alguns fatores como suporte, atendimento, estrutura, serviços e tipos de investimentos disponíveis.

Para ter certeza de que está realizando a melhor escolha, vale à pena consultar o Reclame Aqui e alguns sites como o Jus Brasil para verificar se a empresa possui muitas reclamações e como lida com elas.

Olhar os perfis nas mídias sociais e entrar em grupos de investidores também pode ser uma boa forma de escolher a corretora ideal para iniciar seus investimentos.

Conheça melhor o mercado de Bitcoin e Criptomoedas

Neste conteúdo você aprendeu bastante sobre o que é Bitcoin e como funcionam os investimentos na criptomoeda, porém, esse assunto é muito mais extenso do que se pode abordar em um conteúdo, então, continue estudando sobre o tema, acompanhe avaliações de analistas do segmento e confira notícias sobre o assunto diariamente, para se inteirar sobre tudo que está envolvido nesse mercado e ir se especializando como investidor de criptomoedas.

Defina o quanto pretende investir

Determine quanto você pretende investir em Bitcoin e tenha em mente que os especialistas sugerem que o limite de um orçamento aplicado em criptoativos não extrapole 5% dos investimentos totais.

Essa porcentagem simboliza um valor interessante para ter rendimentos e que não causará prejuízos irreparáveis caso seja perdida.

Em termos gerais, o ideal é que qualquer investidor faça aportes diversificados, então, monte sua carteira de criptoativos, mas não deixe de investir em outros serviços e produtos financeiros tradicionais como CDB, LCI, Tesouro Direto, ações, e outros ativos.

Escolha o tipo de investimento em Bitcoin

Agora que você já conhece os tipos de investimento mais tradicionais em Bitcoin, defina se você quer realizar a compra direta, investir em ETFs ou em fundos de criptomoedas.

Lembre-se que você pode fazer os 3 tipos de investimentos para poder ir acompanhando e sabendo qual funciona melhor pra você.

Se você decidir investir em ETFs disponíveis na bolsa de valores e fundos disponíveis no mercado, deverá acessar o home broker ou plataforma da sua corretora e poderá realizar, por lá, as transações de compra.

A partir desse momento, você passará a ter direito à participação nos resultados, que serão consolidados futuramente, com a venda das cotas.

Continue acompanhando o mercado de criptoativos

Após realizar o investimento em Bitcoin, o ideal é que você continue acompanhando o mercado e o desempenho dos criptoativos.

Se você continuar se atualizando, não participará de efeitos manada e não se assustará tanto com a volatilidade do mercado, sabendo a forma correta de acompanhar tendências, identificar a necessidade de reequilibrar sua carteira ou o momento certo de vender as suas cotas.

Se você gostou desse conteúdo e acredita que ele pode ajudar mais pessoas a tirarem dúvidas sobre como investir em Bitcoin, compartilhe com seus amigos e nas suas redes sociais!

Sucesso com seus investimentos!

Tabela de Conteúdos