Como Minerar Ethereum. Vale a Pena? (Passo a Passo)

por Tasso Lago, em 21 de março de 2022

Engenheiro, Pós Graduado em Finanças Corporativas pela COPPEAD/UFRJ e Mestre em Corporate Finance pela Université de Bordeaux. Atuou como Analista Financeiro para o Banco da IBM - USA e para Fundação Getúlio Vargas como Inteligência de Mercado. Professor de Blockchain e Criptomoedas na COPPEAD/UFRJ. Atua como Gestor de Portfólio e Consultor Financeiro, tendo mais de 10 milhões de reais em ativos gerenciados.




O Ethereum tem chamado cada vez mais atenção entre os investidores de criptomoedas e, naturalmente, quanto mais pessoas conhecem e aprendem sobre o ativo digital, mais demanda existe sobre os assuntos relacionados a ele, fazendo com que a cada dia mais pessoas queiram aprender sobre como fazer sua mineração e lucrar com isso.

Se você também tem interesse em aprender como funciona a mineração de Ethereum, continue por aqui. Explicamos tudo, em detalhes, no conteúdo abaixo!

Mineração de Ethereum: como funciona?

como minerar ethereum

Mineradores são essenciais para que criptomoedas existam e permaneçam sendo negociadas, pois são eles que disponibilizam tempo, capacidade computacional e recursos energéticos para validar as transações com criptoativos como o Ethereum, e realizar outras atividades importantes, como a criação de mais moedas e os tokens de Ether.

A mineração de Ethereum, assim como das outras criptomoedas, consiste basicamente na solução de problemas matemáticos (com cálculos complexos que precisam ser realizados por computadores, por serem impossíveis de fazer manualmente em tempo hábil) através de uma rede de blocos, sendo que cada operação bem sucedida gera um novo bloco.

Assim que o minerador consegue resolver o problema matemático, este é encaminhado para outros participantes da rede que analisarão se a solução está correta, e se 51%, ou mais, dos membros concordarem com a resposta, o bloco solucionado será adicionado à cadeia de bloqueio, concluindo uma mineração e passando para a próxima.

Minerar Ethereum ou Bitcoin?

É natural que quando o assunto for criptomoedas você pense em Bitcoins, mas nem sempre a maior cripto do mundo é a melhor escolha para algum tipo de atividade, e no caso da mineração, o Ethereum oferece possibilidades bem mais realistas, mesmo levando em conta que o valor pago por cada bloco adicionado à sua rede é bem menor do que o do Bitcoin.

Para ter um comparativo em relação ao Bitcoin, criptomoeda de referência em todo o mundo, podemos analisar a diferença do tempo que leva para um bloco novo ser adicionado a cada rede, sendo que, enquanto na mineração de Bitcoin uma recompensa é liberada a cada 10 minutos, na mineração do Ethereum esse período cai para cerca de 12 segundos.

Como minerar Ethereum em casa?

Abaixo, você poderá aprender como minerar Ethereum em casa, entender tudo sobre as necessidades de hardware e opções de softwares para realizar a mineração, e descobrirá tudo sobre o funcionamento desse processo. Acompanhe!

Qual equipamento usar para minerar Ethereum?

A ideia de trabalhar como minerador pode parecer muito interessante quando olhamos para as recompensas envolvidas, afinal o Ethereum está com um valor bem interessante e ser recompensado através dele para deixar o computador fazer todo o trabalho duro, não parece nada mal.

O problema é que quando você começa a pesquisar qual equipamento usar para minerar Ethereum, as coisas começam a ficar mais complexas, pois um computador convencional, com CPU, desses que são utilizados em casa para navegar na internet, explorar as redes sociais e assistir vídeos, não tem a capacidade necessária para minerar de uma forma lucrativa.

Para minerar Ethereum (e lucrar com isso), é preciso investir em um computador com GPU (Unidade de Processamento Gráfico) e uma placa de vídeo que custa bem mais do que as convencionais. Para ser mais realista, quem quer lucrar de verdade com a mineração precisará de mais do que uma unidade desse tipo de hardware.

Além do investimento com o equipamento, quem deseja investir em mineração precisa considerar a questão do consumo de energia elétrica para mantê-lo funcionando 24 horas, e também analisar fatores como o tempo que o computador demora para resolver cada problema matemático (a taxa de hash).

O que é Hash?

O hash é uma linha de dígitos aleatórios, formada de dados de tamanhos diversos. Um exemplo aleatório de hash é: 75a450w3f912befb914ee49f0b62g563652780f. Sendo que a taxa de hash é justamente o tempo que o computador demora para decifrar este código.

Mineração de Ethereum: quais são os softwares?

Após chegar a uma conclusão em relação ao hardware (equipamento), será preciso ter uma base sobre quais são os softwares para mineração de Ethereum e como eles funcionam, como configurar seu nó (node), baixar o blockchain da Ethereum (cerca de 20GB), e fazer a conexão com a rede.

O nó que for configurado será conectado aos nós de outros usuários, e passará a fazer parte da rede para que a mineração possa ser iniciada e personalizada. Assim será possível enviar transações, implementar contratos inteligentes, e criar aplicativos descentralizados, entre outras coisas.

Agora, vamos falar um pouco sobre os principais softwares para mineração de Ethereum: Ethermine, Geth e MinerGate. Acompanhe, saiba mais e esclareça suas dúvidas, abaixo!

Ethermine

O Ethermine pode ser usado em máquinas com Windows ou Linux, placas de vídeo Nvidia ou AMD e é uma opção interessante para minerar Ethereum, pois é capaz de adicionar 66 blocos à rede por hora e permite que você escolha o servidor que quer utilizar (asiático, europeu, norte-americano ou sul-americano).

Outros pontos positivos do Ethermine são: possibilidade de definição do valor mínimo para saque, mineração anônima que dispensa registro no pool, emissão de relatórios, transferência imediata de ativos, entre outros.

Geth

O Geth é o software oficial da Ethereum. Foi desenvolvido pela mesma equipe que desenvolveu a plataforma e é considerado intuitivo e prático pela maioria dos mineradores que trabalham por conta própria.

MinerGate

Para quem está começando ou quer testar a mineração em uma CPU antes de realizar um investimento mais ousado, o MinerGate pode ser a melhor opção, pois não exige tanta capacidade de hardware para funcionar (por outro lado, não é capaz de minerar de forma profissional).

Para utilizar, basta fazer o download gratuito do software, que identifica automaticamente a melhor configuração para rodar, de acordo com a capacidade do computador. Outra opção interessante disponibilizada pelo MinerGate é a possibilidade de fazer a mineração na nuvem. Vale testar antes de começar a investir na compra de equipamentos.

Ainda vale a pena minerar Ethereum?

Ainda vale a pena minerar Ethereum

Depois de tudo que você leu até aqui, deve estar se perguntando se ainda vale a pena minerar Ethereum, visto que para tornar a atividade uma fonte de renda é preciso realizar um investimento consideravelmente alto em hardware e ter ciência de que esse desempenho extra também causará alterações na conta de energia elétrica.

A resposta não é tão simples, pois há muitos aspectos envolvidos, mas alguns fatos são verídicos e devem ser considerados, como, por exemplo, o fato de que a concorrência em relação à mineração aumentou bastante, o que diminui o número de blocos que um minerador vai conseguir formar, e consequentemente, reduz seus ganhos.

Além disso, o custo da energia elétrica continua aumentando periodicamente, fazendo com que o processo da mineração fique cada vez mais caro, o que pode acabar gerando prejuízo para o minerador.

Por outro lado, vale lembrar que a mineração é recompensada em Ethereum, a segunda maior criptomoeda do mundo, e que sempre existe a possibilidade de que haja uma supervalorização, transformando valores medianos em algo astronômico.

Conclusão

Neste conteúdo você pôde notar que a mineração de Ethereum é razoavelmente simples de realizar, porém, pode não ser lucrativa para quem deseja fazer isso com um computador convencional.

Para quem tem condições de realizar um investimento maior, em uma máquina mais potente e específica para essa atividade, a mineração se torna algo mais interessante economicamente, mas, mesmo assim, é preciso levar em conta a questão do consumo de energia para não acabar saindo no prejuízo.

O Ethereum continua crescendo e merece a atenção de quem deseja lucrar com as criptomoedas, então, se você gosta desse tema, não deixe de continuar estudando e se atualizando sobre esse e outros possíveis criptoinvestimentos e todas as atividades relacionadas a eles.

Aqui no Financial Move você encontra informações seguras e confiáveis a respeito do mercado de criptomoedas, seja para aprender do zero ou para aprimorar seus conhecimentos sobre investimentos financeiros no mercado digital.

Continue nos acompanhando e traga mais gente, compartilhando nossos conteúdos nas suas redes sociais!

Tabela de Conteúdos