financial move - tasso lago

Cold Wallet: É Segura para Manter Bitcoin?

Está em busca de uma alternativa segura e offline para guardar suas criptomoedas? É hora de conhecer as Cold Wallets e entender se elas são mesmo ou não seguras para guardar seus ativos.

Em tempos onde tudo se faz online e as criptomoedas ganham cada vez mais adeptos e investidores, sempre tem a pergunta sobre onde guardá-las. Uma das opções são as cold wallets, ou carteiras frias, em tradução livre.

Neste artigo, vamos explicar melhor o que é uma cold wallet, como ela funciona e, principalmente, esclarecer a seguinte dúvida: elas são seguras para manter bitcoin e outras criptomoedas?

O que é Cold Wallet?

Vamos começar pelo início, até porque não dá para entender o seu funcionamento sem saber exatamente o que é uma cold wallet.

Uma cold wallet, que também pode ser chamada de paper wallet, é uma carteira utilizada para guardar ativos offline. Ou seja, é uma forma de armazená-los em um lugar que não está online.

Em linhas gerais, as carteiras possuem chaves privadas e restritas ao usuário, exceto seu endereço, que é público. Porém, diferente das carteiras online, uma cold wallet tem por função, unicamente, armazenar criptomoedas.

E, por estar offline, oferece uma segurança maior aos investidores.

Existem alguns tipos de cold wallets, que são:

Paper wallet – uma carteira de papel, que permite impressão física de chaves;

Hardware wallet – consiste em um dispositivo eletrônico que arquiva chaves públicas e privadas offline;

USB wallet – dispositivo que permite salvar chaves privadas, considerado o mais simples, porém é preciso armazenar o USB em local seguro;

Desktop 2 wallet: carteiras instaladas no computador pessoal do investidor e não se conectam à internet.

Cold Wallet é segura?

Essa é a pergunta mais feita quando falamos em cold wallet e é sempre bom responder para que se tenha certeza da escolha da carteira na hora de investir.

A cold wallet é muito segura. Pode-se dizer, inclusive, que ela é mais segura do que as carteiras digitais.

O motivo é muito simples. Como ela não está conectada à internet, a chance dela ser hackeada é menor do que as carteiras digitais.

Mas se ela não está conectada, ainda há chance de algo acontecer via internet? 

A resposta é sim. Mesmo que por alguns minutos, você precisa colocar a carteira online para fazer transações. E é aí que algo pode acontecer.

Mas, falando em percentuais, a chance de algo acontecer é bem menor do que com as carteiras digitais. Porém, nada pode ser excluído.

Existe, entretanto, um fato que pode comprometer a sua carteira. Como já falamos, a cold wallet armazena chaves de acesso para as suas criptomoedas. E você precisa dessas chaves, senão não há acesso.

Mas, se você esquecer, por qualquer motivo que seja, as chaves de acesso (senha e frase de segurança, geralmente), a sua carteira não poderá ser mais acessada. O que faria com que seus ativos se perdessem.

Se você perde os seus ativos, você está no prejuízo. E isso nunca é uma coisa boa, certo?

Como funciona Cold Wallet?

Uma cold wallet tem um funcionamento muito mais simples do que uma carteira online. Como você pode imaginar, elas armazenam criptomoedas e chaves privadas em softwares e/ou dispositivos físicos, como um pen drive.

Ao criar uma carteira desse tipo, o investidor pode transferir seus ativos para ela, mantendo-as longe da internet e em segurança.

O único contato que a sua carteira terá com a internet, será quando você for transferir moedas para uma carteira online, onde você faz as negociações. Fora isso, ela não terá qualquer contato via web.

Isso impede, principalmente, que a cold wallet sofra qualquer tentativa de ataque cibernético, o que garante ainda mais segurança aos seus ativos. 

Toda essa segurança se reflete no funcionamento. Como dissemos, o único contato que a sua carteira terá com a internet será na hora de movimentar seus ativos.

E você pode conectar a carteira para utilizá-la ou  usar a alternativa que colocamos acima, transferindo a quantidade de criptomoedas que você quer negociar para uma carteira online (ou hot wallet) e fazer as negociações.

Pode uma Cold Wallet ser hackeada?

Essa é uma pergunta bastante comum quando o assunto são as cold wallets. E a resposta requer uma explicação.

Em tese, por serem carteiras que não estão ligadas à internet, elas não podem ser hackeadas. Esse seria, inclusive, o princípio básico dessas carteiras, evitar que suas contas sejam invadidas e proteger as suas criptomoedas.

Mas, como você precisa, invariavelmente, conectá-la à internet para fazer as transações, nem que seja para transferir da sua cold wallet para uma outra carteira digital sua para só então negociar as criptomoedas.

Abriu-se aí uma brecha para que ela seja hackeada.

Claro que você deve ter em mente o seguinte fato. Você não vai deixar a carteira online por horas. São alguns minutos. E isso diminui, e muito, as chances de você ser hackeado.

Uma coisa é certa: as cold wallets são mais seguras para armazenar criptomoedas do que as hot wallets.

Quais as vantagens Cold Wallet?

A primeira e principal vantagem a se destacar é, sem dúvida, a segurança. Não se pode hackear o que não está na rede, certo? Esse é o ponto principal das carteiras offline. 

Além disso, te dá uma opção de administrar seus ativos conforme os seus objetivos. Se você pensa em investir nas criptomoedas a longo prazo, mantê-las ‘fora da internet’ evita que você corra o risco de gastar, deixando-as apenas como uma alternativa em casos de necessidade.

Mas é importante lembrar que tudo depende da forma como você quer aplicar as suas criptomoedas. 

Objetivos a longo prazo pedem que você guarde dinheiro, ou ativos, no caso. Isso quer dizer que quanto menor o risco que esse investimento correr, melhor para a sua rentabilidade daqui a 5 ou 10 anos.

Porém, lembrando de um detalhe importante sobre o mercado de criptomoedas, o preço é bastante volátil.

Isso quer dizer que hoje elas podem estar em alta, mas daqui a 10 anos, talvez nem tanto. Então é importante se manter atento ao mercado e diversificar seus investimentos.

E também é essencial saber quando é a hora de vender seus ativos. Se você pegar um bitcoin, por exemplo, que já teve seu valor máximo de US$66 mil (algo em torno de 338 mil reais no câmbio atual), perder a oportunidade de vender em um dia de supervalorização pode ser uma chance de ganhar muito dinheiro desperdiçado.

Mesmo sabendo que seus objetivos são a longo prazo, saber a hora de vender faz parte do jogo e é essencial que você nunca se esqueça disso. Apesar do objetivo mais distante, não se pode perder uma oportunidade como essa, não é mesmo?

Quer dar um próximo passo no mercado de criptomoedas e descobrir quais são as moedas que mais vão explodir neste ano?

Tasso Lago vai dar uma aula gratuita na próxima terça-feira, às 20h, onde ele vai revelar os 3 segredos para encontrar a cripto certa e multiplicar seu dinheiro 2, 5, 10 vezes ainda neste ano.A aula é 100% gratuita mesmo e as vagas são limitadas. Por isso, clica no botão/banner abaixo e se inscreva agora antes que as vagas acabem. Não perca tempo!

Veja também outros conteúdos: