Uniswap começa a bloquear endereços ligados a atividades suspeitas

por Carol Fernandes, em 27 de abril de 2022

Graduada em Publicidade e Propaganda pela UNIB/SP e Produtora de Multimídia pelo SENAC/SP. Atuou mais de 12 anos em diversas empresas de tecnologia e em multinacionais na área de marketing. Atualmente é produtora de conteúdo e educadora cripto no canal Carolinvest.




A Uniswap, uma das mais populares exchanges descentralizadas do mercado de criptomoedas, começou a tomar ações contra endereços que estão ligados a atividades suspeitas, bloqueando esses usuários da plataforma. Apesar de ser algo comum em plataformas centralizadas, essa ação pode preocupar muitos que estão no mercado descentralizado.

A Uniswap junto da TRM Labs, começará a investigar todos os endereços que podem estar usando a plataforma descentralizada para realizar qualquer tipo de atividade ilícita. Endereços que forem determinados como participantes de atividades desse tipo poderão ser bloqueados.

Mais especificamente, todos os endereços de carteiras que pertencem ou estão associadas a atividades claramente ilegais como: evasão de sanções, financiamento de atividades terroristas, roubo de fundos ou transferência de valores hackeados, atividades de ransomware, atividades de tráfico humano e material ligado a abuso infantil, serão bloqueadas.

Na prática a TRM Labs combinará dados da blockchain com informações sobre investigações realizadas por autoridades ao redor do mundo sobre atividades maliciosas, ilegais ou granes crimes.

Através dessas informações, a TRM tentará rastrear os endereços e carteiras envolvidas em diferentes tipos de investigações, enviando à UniSwap a relação desses endereços com os crimes e a corretora então bloqueará o serviço.

De imediato, isso fez com que muitos já começassem a expressar descontento com a decisão da plataforma:

O problema com isso é que se a Uniswap tem o poder de bloquear endereços a partir da decisão da sua equipe central, então a plataforma é centralizada até um certo nível, o que não é a proposta do DeFi que atrai tantos usuários que querem fugir da centralização.