Conheça o ImpactMarket: um projeto social em blockchain

por Giovana Simão - bitdasminas, em 19 de maio de 2022

Fundadora e idealizadora do bitdasminas, um canal com a intenção de atrair cada vez mais mulheres para o universo cripto. Ensinando sobre educação financeira e criptomoedas. Assim como dicas sobre o mercado!




Faça parte do nosso grupo gratuito de criptomoedas, análises diárias gratuitamente! – CLIQUE AQUI AGORA.

Com a ascensão do mercado de criptomoedas, acompanhamos a criação de diversos projetos. Se fossemos classificá-los teríamos dois grandes pilares: os que não possuem um fundamento sólido (como é o caso das moedas memes), mas também aqueles que buscam trazer algum tipo de inovação para o mundo. 

Existem ainda projetos que desejam facilitar o nosso dia-a-dia, e outros que vão atrás de pautas maiores, como sustentabilidade e meio ambiente. Mas um projeto com base na tecnologia blockchain, que pretende acabar com a pobreza extrema do mundo até 2030 é novidade, né? 

Pois é, esse é o objetivo da plataforma portuguesa ImpactMarket! A empresa já é o maior sistema de Renda Básica Incondicional em blockchain do mundo. E pretende através de doações, ajudar ‘pessoas que vivem com menos de 1.9 dólares por dia’. 

Ficou curiosa(o) para saber mais? Então se liga nesse artigo que preparamos para você – e não deixe de checar o blog da Financial Move que recebe novos textos semanalmente. 

Reprodução: Impact Market Site Oficial 

O que é o projeto? 

Segundo o site oficial, a ImpactMarket é um protocolo descentralizado de alívio da pobreza que permite que qualquer comunidade vulnerável implemente mecanismos de alívio da pobreza, como a Renda Básica Incondicional (RBI).

Só para nos situarmos; a ideia da renda básica é de uma renda monetária regular, individual e incondicional a todo cidadão, independente da sua condição financeira e de trabalho. Para nós, poderia ser algo próximo ao Bolsa Família. 

A fim de trazer mais exemplos sobre o tema, no segundo semestre de 2021 a Alemanha começou um estudo sobre renda básica incondicional. Cidadãos e cidadãs passaram a receber 1.200 euros por mês, durante três anos, sem quaisquer condições impostas. A hipótese a ser verificada é que “se uma renda básica incondicional resolveria muitos problemas do dia a dia: se cada indivíduo estiver livre da pressão de ganhar dinheiro para se sustentar, todos serão mais livres, mais criativos e, no geral, mais felizes”. 

Curiosidades à parte, a ImpactMarket utiliza da tecnologia descentralizada do mundo financeiro (DeFi) para combater a pobreza de países em desenvolvimento. A empresa criou um protocolo com base em blockchain para proporcionar RBI sem intermediários. 

Ou seja, permitindo que qualquer comunidade crie o seu próprio sistema de distribuição de rendimentos entre beneficiários de forma independente, gratuita e descentralizada. 

Mais de dois milhões de dólares de investimento já foram arrecadados e ajudam mais de 30 mil pessoas em 30 países – incluindo o Brasil. 

A startup foi fundada em 2020 pelo português Marco Barbosa e já possui parcerias com as empresas Cielo, Rappi, IFood e outras.

Segundo o próprio CEO “não é possível ter um rendimento básico incondicional sem blockchain, isso acontece porque mais de dois milhões de pessoas não têm acesso, sequer, a uma conta bancária”. 

Tá, e como funciona tudo isso Gi?

O sistema funciona por meio de um aplicativo para smartphones (disponível para IOS e Android), no qual organizações sociais cadastram seus projetos sociais. Após serem aprovados, os projetos ficam disponíveis no APP e podem receber doações de pessoas ou empresas. Estas doações são reencaminhadas para carteiras em Celo Dollars (cUSD), uma criptomoeda atrelada ao Dólar americano que corre na rede da Celo

Segundo o site da Esolidar (parceira da ImpactMarket), as pessoas que constam da lista de beneficiários –  criada pela organização social e registrada no app – solicitam o valor de rendimento mínimo incondicional previamente acordado nos contratos inteligentes (smart contracts). Em seguida, o valor é enviado de acordo com as regras estabelecidas de forma automática, sem qualquer intervenção humana ou intermediários para fazer as transações.

Os pagamentos são feitos de forma regular ou quando os beneficiários necessitarem de aportes, e funcionam até o valor total disponível do projeto terminar. O dinheiro pode ser usado em estabelecimentos comerciais ou transferidos para outra carteira para pagar coisas como: comida, contas de eletricidade e água, aluguel ou qualquer outra necessidade do beneficiário. 

O que é interessante é como o projeto pretende alcançar essas pessoas que vivem em situação de vulnerabilidade. Sabemos que normalmente esse grupo não possui acesso a conta bancária. Isso porque, em muitos casos, não cumprem os requisitos pedidos pelo sistema bancário tradicional.

Sendo assim, por não necessitar de um intermediário, o sistema do ImpactMarket possibilita o acesso aos serviços financeiros utilizando apenas um smartphone conectado à internet. 

Além disso, por ser baseado na tecnologia blockchain, os participantes podem rastrear suas contribuições desde o momento em que o dinheiro sai de suas contas bancárias até chegar ao seu destino. 

Brasil e o ImpactMarket

De acordo com a Exame, mais de 10 mil brasileiros receberam criptomoedas de graça através de projetos sociais atendidos pela ImpactMarket – totalizando mais de 2 milhões de reais em criptos! 

São 51 projetos sendo atendidos no Brasil, com destaque para a cidade baiana, Lauro de Freitas, que possui oito projetos assistidos pela startup. São eles: “Projeto Bem-Estar”, Centro de recuperação Emanuel, Comunidade reabilitando famílias, Boa União, Lauro de Freitas, Comunidade Portão, Comunidade do jambeiro e Portão. 

Em média, cada um dos beneficiados recebe cerca de cinco dólares por dia com o projeto de criptomoedas de graça.  Além do repasse para projetos sociais, uma das iniciativas escolhidas pela ImpactMarket realiza o repasse direto de criptomoedas para aproximadamente mil famílias brasileiras.

De acordo com o site, esse projeto chamado “Trazendo Alegria” está instalado em uma comunidade de Salvador-BA, onde cada família recebe o equivalente a R$ 250 mensalmente. No total essas famílias devem receber o auxílio por no máximo 20 meses.

O token

Além da moeda Celo Dollars (cUSD), a startup lançou um token na plataforma Polkastarter. Quem comprar o $PACT passa a ter o poder de participar nas tomadas de decisão da empresa.

A ImpactMarket disponibilizou 150 milhões de tokens, cujo valor total das compras será direcionado para as comunidades que a startup ajuda com recurso à blockchain. Os $PACT podem ser comprados com as criptomoedas Bitcoin, Ethereum e Celo. 

Segundo o site CoinMarketCap, o preço do token PACT hoje (18/05/22) é de $$0,000522 dólar. Sua classificação atual em capitalização de mercado é em #5713. 

Gráfico histórico de preço do token PACT

O projeto é um contraponto para aqueles que acreditam que tudo aquilo que envolve criptomoedas está relacionado a lucro/ganância. Blockchain, smart-contracts e DeFi são tecnologias que vieram para facilitar a vida e abrir novos caminhos. 

Vale a pena ficar de olho!

E você já tinha escutado falar sobre o projeto? Me conte aqui nos comentários! 

Links Úteis

Conheça a nossa Sala VIP, onde publicamos nossos investimentos em tempo real para você copiar e ganhar tanto quanto nós!

Assertividade de 89,3% em nossos trades. Confira os rendimentos na página do VIP