Big Data e Armazenamento em Nuvem na Blockchain?

por Isabela Roque (beladosbitcoins), em 19 de maio de 2022

Graduada em Engenharia da Computação pela FIAP e Mestre em Engenharia Elétrica e Computação (Inteligência Artificial, Análise de Sentimento) pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. É doutoranda em criptomoedas pelo Mackenzie e também Cientista de Dados. Atualmente é trader, instrutora de Python e R para Análise de Dados e possui a certificação de criptomoedas CBP (Certified Bitcoin Professional) da CryptoConsortium.




Quem é um pouco mais antenado em tecnologia certamente já ouviu falar de armazenamento em nuvem, Big Data, Inteligência Artificial e todas as áreas relacionadas a esse tema. Cada vez mais utilizamos espaço para trafegar na internet, armazenar nossas fotos, vídeos e para quem é de computação, subir aplicações robustas na nuvem. O que pouca gente sabe é que existem diversos projetos envolvendo blockchain para concorrer diretamente com serviços de nuvem como da Amazon, cada qual com sua criptomoeda específica. Big Data é o termo do momento, será que essa será a próxima onda para surfar junto com a Web 3.0? No artigo de hoje vamos entender melhor esses termos e fazer um resumo de projetos promissores de armazenamento de dados de maneira distribuída.

Antes de continuar lendo, entre em nosso canal gratuito e tenha acesso em primeira mão as melhores análises e artigos do mercado -> Entre Agora!

O que é Big Data?

Mesmo quem não é da área de computação certamente já ouviu em algum lugar, seja no noticiário ou aleatoriamente na internet, o termo Big Data. Como o próprio nome diz, Big Data envolve grandes quantidades de dados que cada vez mais estão ficando complexos e muito velozes. Depois da criação dos smartphones, boas conexões de internet e redes sociais, o ser humano está cada vez mais imerso em celulares e transmitindo e recebendo quantidades absurdas de dados. E se pensarmos no metaverso, essa grande quantidade só aumenta!

Se formos pensar apenas em usuários comuns que tiram fotos e vídeos, nem os celulares estão aguentando tanta quantidade de dados. E é aí que o armazenamento na nuvem ganha forma e acabamos pagando para ter nossas informações armazenadas em um local seguro, sem medo de perdermos a informação. Muitas empresas utilizam, por exemplo, a AWS (Amazon Web Services) para rodar suas aplicações.

Usuários comuns podem comprar espaço de armazenamento através do próprio Google ou iCloud para quem possui celulares Apple. Dropbox também, já ouviu falar? Todos esses serviços se enquadram na famigerada nuvem.

Armazenamento centralizado?

Ok, mas qual o problema disso? Já vimos vários casos que nossos dados realmente não estão protegidos, vira e mexe vemos notícias que a nuvem de alguém foi hackeada e informações/vídeos pessoais foram vazados na internet.

Além disso, é um armazenamento centralizado, você sempre estará sujeito aos termos de uso da plataforma.

Beleza, mas ainda não entendi o papel da blockchain nesse caso…

Vamos entender melhor então!

A Solução

Vendo esse gargalo, especialmente com a Web 3.0 ganhando cada vez mais força, por que as pessoas deveriam armazenar seus documentos, vídeos, etc em uma nuvem centralizada? Por que não em uma nuvem descentralizada?

Qual a grande solução nesse caso? Usar a blockchain! Ela é totalmente descentralizada.

E é nisso que grandes projetos de cripto estão fazendo suas apostas, vamos conhecer alguns agora!

FIL (FileCoin)

A FileCoin é um projeto bem interessante, o grande foco dela é que todo mundo possa armazenar seus documentos de forma segura, distribuída e com custo acessível, sem restrições impostas por exemplo pelas Big Techs. Qualquer um pode se tornar um “data center”, a única exigência é que os dados precisam estar seguros e criptografados. Os “data centers” passam por uma prova criptográfica para “lutar” pelo direito de armazenar os dados de determinada pessoa X e recebe um incentivo da rede por isso, pagos em FIL.

No site da FileCoin tem um vídeo muito interessante como funciona todo esse processo.

STORJ (STOR)

STORJ é um projeto bastante promissor de armazenamento descentralizado na nuvem. Ao enviar um arquivo para a nuvem da rede da STORJ, o usuário escolhe o melhor serviço com o melhor custo benefício e o seu arquivo é armazenado de modo distribuído onde só quem enviou o arquivo tem o acesso total a ele.

Além disso, assim como no projeto da FileCoin, quem realiza o armazenamento é sempre verificado para sempre garantir a segurança dos dados e a criptografia de ponta a ponta.

Fora o custo que é muito acessível, diferentemente de muitas nuvens que é necessário pagar um rim para um maior espaço de armazenamento. O ponto mais interessante no STORJ é que desenvolvedores podem utilizar 150 GB de espaço de graça e ainda tem compatatibilidade para conectar diretamente no serviço S3 da Amazon.

Além desses dois projetos, existem muitos outros que visam a área de negócios para construir aplicações descentralizadas como é o caso da ANKR.

No site da CryptoSlate é possível dar uma olhada em todas as moedas do setor de armazenamento:

Conclusões

Como vimos no artigo de hoje, juntamente com a Web 3.0, muitos projetos também irão começar a pensar em sair de uma tecnologia centralizada de nuvem para uma tecnologia descentralizada como a blockchain e já existem vários projetos com esse intuito que ainda não engrenaram tanto quanto eles tem de potencial.

É um mundo descentralizado, já pensou poder usar armazenamento descentralizado pela blockchain?

Referências

https://medium.com/the-capital/big-data-projects-on-blockchain-how-blockchain-can-help-us-understand-data-14492bb77522

https://www.analyticssteps.com/blogs/8-benefits-blockchain-big-data-transformation

https://www.storj.io/

https://filecoin.io/

Tabela de Conteúdos